.

.

sábado, 29 de outubro de 2011

O ESCÂNDALO DE ASSIS
Pode o erro e a verdade andarem de mãos dadas?
Quem não está comigo, está contra mim, diz Nosso Senhor!
  A situação em que se encontram hoje a Santa Igreja e o mundo é realmente gravíssima.
 Em vez de cumprir as solicitações de Nossa Senhora em Fátima, a consagração da Rússia pelo Papa com todos os Bispos da Igreja Católica, promovem novamente o profano Encontro de Assis, para invocar uma falsa paz entre as falsas religiões de origem diabólica.
O que efetivamente coloca em contradição a única verdadeira paz que só Jesus Cristo pode dar. Pedem a paz mas de Deus obterão apenas a espada para reparar os incontáveis pecados cometidos contra Ele...
"O Vaticano convidou os hinduístas a se unirem aos cristãos na promoção da liberdade religiosa, que inclui a de mudar de religião..." Este é o perigoso discurso liberalista da Nova Roma: a confusão!  E, como bem sabemos, o mestre da confusão é Satanás. 
É claro e evidente que constitui um verdadeiro suicídio tal atitude e não poderia provir de quem verdadeiramente ama à Igreja e à Nosso Senhor Jesus Cristo.
Foi aberta ainda mais a estrada aos inimigos declarados de Nosso Senhor, tratados todos com o máximo respeito.
Ao respeitarmos as falsas religiões, estamos na verdade respeitando os seus erros.
Basta lembrar, entre tantos episódios, aquele de não permitir que a imagem de Nossa Senhora de Fátima entrasse na Basílica de Assis, para não desagradar os convidados do Primeiro Encontro Interreligioso de Assis em 1986.
Ao contrário, nessa mesma ocasião, autorizou-se a colocação de uma estátua de Buda no lugar do Crucifixo sobre o tabernáculo do Santíssimo Sacramento, no altar da Igreja de S. Pedro em Assis.
Não só a fumaça de Satanás entrou na Igreja, como também suas brasas incandescentes e cáusticas foram espalhadas no corpo do catolicismo. Uma verdade absoluta pode ser delineada: ou se põe fim a tal encontro escandalosíssimo, ou cada vez mais aprofundara-se-á o cisma interior em Roma.
 A impressão que inevitavelmente deixou o evento de Assis, especialmente através da refração da mídia mundana, foi a de que todas as religiões são mais ou menos agradáveis a Deus – que é exatamente a teoria rejeitada como falsa pelo Papa Pio XI, em sua encíclica Mortalium Animos, de 1928. Se não fosse assim, porque o Papa teria convocado todos os "representantes" delas a Assis para oferecerem suas "orações pela paz"?
Budistas, bahà'i, hinduistas, sikh, zoroastrianos, animistas, muçulmanos, judeus, protestantes e até ateus... só para citar alguns dos convidados ao Segundo Encontro Inter-religioso de Assis.
Tudo isto redundou na colocação da nossa Santa Religião ao mesmo nível de todas as outras religiões, que não são verdadeiras!
Imagem de Buda é colocada em cima de um sacrário para ser reverenciada! ... ABSURDA PROFANAÇÃO!
 "O inimigo está oculto e trabalha ocultamente."
Realmente. Os homens odeiam a luz (Jo 1,5). "A luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas." (Jo 3, 18).
O inimigo não se contentará com impedir a propagação da Fé; mas pretenderá, ademais, erradicá-la, por todos os meios, naqueles que a receberam.
A estratégia planejada para isto foi a da infiltração nas estruturas eclesiais, apostasias parciais se produziram muitas, no correr dos séculos; algumas de proporções gigantescas, que desgarraram da árvore frondosa da Igreja de Cristo nações inteiras; como foi a invasão árabe ou a revolução protestante.
Temos, pois, a Igreja pós-concilio Vaticano II apóstata, radicalmente distinta e irreconciliável com a Igreja Católica e Apostólica fundada por Cristo.
Tudo isto  com o pleno apoio da Maçonaria. Basta ler o discurso final pronunciado pelo Grão Mestre Armando Corona na Grande Loja, no Equinócio da Primavera, publicado em Hiram, o Órgão do Grande Oriente da Itália em Abril de 1987:
«O nosso interconfessionalismo nos valeu a excomunhão por parte de Clemente XI. Mas a Igreja estava certamente no erro, se é verdade que, no dia 27 de Outubro de 1986, o atual Pontífice reuniu em Assis homens de todas as confissões religiosas para orar pela paz... Que mais procuravam os nossos irmãos quando se reuniam nos templos, senão o amor entre os homens, a tolerância, a solidariedade, a defesa da dignidade da pessoa humana, considerando-as iguais, acima dos credos políticos e religiosos, da cor da pele?» (Armando Corona, Grão Mestre da Grande Loja do Eqüinóxio e a Primavera Irmã, Abril de 1987, apud Padre Dominique Bourmaud, Cien Años de Modernismo, Ediciones Fundación San Pio X, Buenos Aires, 2006, p. 410).
"Pode-se dizer que o ecumenismo é o filho legítimo da Maçonaria"
"Todas as formas de poder que se fazem surdas à vontade de Deus são lobos ferozes que renovam a Paixão de Cristo e fazem verter Lágrimas a Nossa Senhora". (Santo Padre Pio).
MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda, Maomé e tantos falsos deuses!
“Apaga-se a verdadeira fé e uma falsa luz difunde-se sobre o mundo. A Igreja sofrerá uma crise horrenda. Roma perderá a fé e tornar-se-á a sede do anticristo. A Igreja será eclipsada e o mundo ficará na desolação”. (Virgem da Salette)
São Pio de Pietrelcina disse: "todos os padres que defendem a possibilidade de um diálogo com os negadores de Deus e com os poderes lucíferos do mundo enlouqueceram, perderam a Fé, não creem mais no Evangelho!"... A falsa paz deste mundo...
Não devemos jogar ao esquecimento o fato de que a Igreja tem a promessa de permanecer até a consumação dos séculos. "As portas do inferno não prevalecerão".

* * * * * *

Nenhum comentário:

Postar um comentário